CLT: Funcionários do programa ESF se revoltam após redução salarial em Birigui

saude

Todo funcionário está acostumado com a palavra AUMENTO, quando essa palavra é invertida por REDUÇÃO é de se causar revolta e espanto! Funcionários seguem normas da CLT

A nossa equipe de reportagem recebeu vários questionamentos e denuncias de funcionários bem como a comunidade que depende dos serviços prestados pelo programa ESF, a respeito da redução de salários, um edital que foi divulgado há nove meses pela empresa OS, mesma empresa que administra a Santa Casa de Birigui.

Segundo informado, os funcionários receberam a informação através da coordenadora do programa ESF (ESTRATEGIA SAÚDE FAMILIA), que os salários durante os oito meses, foram quitados com valor maior e por essa razão esse valor seria reduzido para o correto, sendo assim os funcionários correm o risco até de ter que devolver o valor que foi pago erroneamente.

Bastante descontentes com essa situação, os funcionários procuraram o prefeito, o Ministério Público para que pudessem apurar os fatos. A direção da Santa Casa que é a responsável pela empresa OS, agendou uma reunião emergencial com os funcionários em horários separados, sendo às 14hs com os médicos, às 16hs com as enfermeiras e às 18hs com os técnicos em enfermagem. Ainda segundo informações na presença de dois advogados e a mulher que coordena o programa, eles foram informados que os salários foram quitados com valor errado, que o primeiro erro foi cometido pelo RH da empresa, e os funcionários também agiram de má fé recebendo tal valor que ultrapassava o valor correto que seria de conhecimentos de todos. Além de informar que todos precisavam aceitar essa redução, pois caso contrário poderia sofrer com o desemprego.

Segundo informações os valores pagos para os funcionários de outras cidades, mas pertencentes ao programa são equivalentes aos valores que a empresa OS estava pagando até a redução de salários.

 

SANTA CASA

A nossa equipe também procurou o superintendente da Santa Casa Antonio Carlos de Oliveira, que nos recebeu e também informou que o setor de RH se equivocou no momento do registro em carteira a respeito do valor. Com esse impasse, caso ele não fosse descoberto e interrompido, poderia causar muitos prejuízos aos cofres públicos, vez que o valor é repassado pelo Governo Federal e outra parte pelo Município. Mais que o jurídico da empresa já estava tomando as medidas cabíveis para resolver a situação da melhor maneira possível. Ainda informou que a Santa Casa esta de portas abertas, para receber qualquer funcionário com duvidas e assim responder todos os questionamentos e duvidas pendente.

PREFEITO

A nossa equipe também falou por telefone com o prefeito Cristiano Salmeirão, o mesmo se comprometeu a apurar os fatos e em breve marcar uma reunião com a administração do programa e funcionários, para resolver da melhor maneira para ambos. E assim que tiver uma posição ele iria divulgar para a imprensa.

 

MINISTÉRIO DA SAÚDE

A nossa equipe encaminhou para o Ministério da Saúde vários E-mails com questionamentos, mas até o fechamento desta matéria não recebemos nenhuma resposta da pasta.

 

Fonte: Guilherme Renan

1
Olá !
Fale Conosco.
Powered by